• Compartilhar em Google+

Segundo o medidor de preços Índice Properati-Hiperdados (IPH), o preço médio do metro quadrado dos imóveis à venda no Brasil apresentou queda de 0,26% entre os meses de julho e agosto de 2017. Embora continue caindo, o valor representa a menor queda do índice nos últimos meses. Entre junho e julho, o IPH havia registrado redução de 1,37%. E no levantamento anterior, referente à variação entre os meses de maio e junho, o IPH foi de menos 1,07%.

A diminuição da intensidade da queda pode ser um indício de recuperação do mercado imobiliário. Enquanto no IPH de agosto o acumulado dos últimos doze meses era de menos 3,44%, o IPH de setembro traz um acumulado de menos 2,83%. Além disso, conforme indica uma pesquisa feita pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), no segundo trimestre de 2017, o número de imóveis lançados cresceu 59,8% e as vendas aumentaram 17,5%, em relação ao primeiro trimestre do ano.

Em São Paulo, o preço dos imóveis, mais uma vez, caiu, mas o ritmo de queda está menor. Em maio, a média do metro quadrado era de R$ 8.221. Em junho, o valor foi para R$ 8.190 e, em julho, chegou a R$ 8.066. No levantamento dos preços de agosto, o preço também caiu, mas apenas para R$ 8.059, o que representa uma desvalorização de apenas 0,09% em comparação com julho. Desde agosto de 2016, os preços da capital paulista tiveram uma desvalorização de menos 2.75%.

A capital paulista continua abaixo da cidade de Balnerário Camboriú (SC), que está com preço médio do metro quadrado de R$ 8.681. Nos últimos 12 meses, os imóveis da cidade catarinense valorizaram 7,49%.

Depois de dois meses em alta, a cidade do Rio de Janeiro voltou a registrar queda no valor médio do m² dos imóveis. Em maio, o preço médio era de R$ 8.843. Em junho, ele subiu para R$ 9.008 e depois, em julho, chegou a R$ 9.224. Mas, em agosto, o preço caiu para R$ 9.215. Assim como São Paulo, a desvalorização em relação a julho é baixa, de apenas 0,09%. E no acumulado dos últimos doze meses, a capital carioca continua em alta, com saldo positivo de 7,51%.

O Índice Properati-Hiperdados (IPH) é calculado com base nos imóveis à venda em 50 cidades brasileiras e que estão cadastrados no portal imobiliário Properati.com.br. Das 50 cidades avaliadas, o valor do m² de 32 delas apresentaram queda nos últimos doze meses, quando consideramos a inflação do período. A cidade que sofreu maior desvalorização foi Cabo Frio (RJ), com menos 16,47%. Na outra ponta, a maior valorização foi encontrada em Belém (PA), com 7,57%.

A base de dados da Properati conta, hoje, com mais de 1,3 milhão de imóveis cadastrados e pode ser conferida na íntegra aqui.

Sobre a Properati

O portal de venda e aluguel de imóveis Properati.com.br nasceu na Argentina, em setembro de 2012, com objetivo de trazer mais agilidade e eficiência ao usuário que busca um imóvel na América Latina e mais oportunidades de negócios para quem vende.

A Properati chegou ao Brasil em março de 2014 e tem hoje mais de 1,3 milhão de imóveis cadastrados no país. Em janeiro de 2015, a empresa lançou seu aplicativo mobile. Desde o início das suas operações, a Properati já recebeu um total de investimentos de US$ 4,7 milhões, dos fundos Eastpoint Ventures, Patagonia Ventures, GroupArgent, Gravlax Ventures, NXTP, Neveq Ventures, e Telor International Limited.