• Compartilhar em Google+

Segundo o mais abrangente medidor de preços do mercado imobiliário, o Índice Properati-Hiperdados (IPH), com cobertura nacional de 100 cidades espalhadas pelo Brasil, o preço médio do metro quadrado dos imóveis à venda no país caiu 1,1% entre os meses de março e abril deste ano. Porém, se considerarmos a inflação (IPCA) de março, que fechou em 0,09%, o valor do metro quadrado brasileiro teve uma queda real de 1,19%.

Com isso, o valor médio do metro quadrado brasileiro chegou a R$ 6.121. No acumulado de 12 meses, os preços médios registrados pelo IPH caíram, nominalmente, 5,48% – em abril de 2017, o valor estava em R$ 6.475 –, mas a queda real foi de 7,95%.

Preços

Em São Paulo (SP), o preço médio do metro quadrado dos imóveis voltou a desvalorizar. Depois de subir 0,83% entre fevereiro e março, o valor teve queda de 1,93% entre março e abril. Com isso, o preço médio do metro quadrado na capital paulista se afasta ainda mais dos R$ 8 mil, chegando a, exatamente R$ 7.741.

Já o Rio de Janeiro (RJ) continua em valorização em 2018 e mantém sua posição como primeira cidade no ranking, com o metro quadrado mais caro do Brasil. Depois de subir 0,47% entre fevereiro e março deste ano, o metro quadrado da capital carioca subiu mais 0,76% entre março e abril, ultrapassando a faixa dos R$ 10 mil, com, precisamente, R$ 10.006.

Outras cidades que merecem destaque são Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Campinas (SP) e Curitiba (PR).

Entre março e abril deste ano, o preço médio do metro quadrado em Brasília teve alta de 1,97%, atingindo R$ 5.541. Em Belo Horizonte, o valor médio do metro quadrado teve queda de 2,07%, chegando a R$ 5.072. Em Campinas, no mesmo período, a variação foi praticamente estável, com queda de apenas 0,09% (R$ 5.297). E em Curitiba, o preço do metro quadrado teve variação positiva de 0,45%, chegando a R$ 4.927.

O Índice Properati-Hiperdados (IPH) é avaliação mais ampla do mercado imobiliário brasileiro, pois é calculado com base nos dados de 100 cidades brasileiras, o que representa a maior amostragem em pesquisas do setor. Todos os imóveis utilizados no cálculo estão cadastrados no portal Properati.com.br.

Das 100 cidades avaliadas, o valor do metro quadrado de 44 delas apresentaram queda nominal entre março e abril de 2018. A cidade que sofreu maior desvalorização nominal foi Maricá (RJ), com queda de 2,87%. Na outra ponta, a maior valorização nominal foi encontrada na capital Vitória (ES), com mais 2,85%.

Sobre a Properati

O portal de venda e aluguel de imóveis Properati.com.br nasceu na Argentina, em setembro de 2012, com objetivo de trazer mais agilidade e eficiência ao usuário que busca um imóvel na América Latina e mais oportunidades de negócios para quem vende.

A Properati chegou ao Brasil em março de 2014 e tem hoje mais de 1,5 milhão de imóveis cadastrados no país. Desde o início das suas operações, a Properati já recebeu um total de investimentos de US$ 4,7 milhões, dos fundos Eastpoint Ventures, Patagonia Ventures, GroupArgent, Gravlax Ventures, NXTP, Neveq Ventures, e Telor International Limited.

Sobre a Hiperdados

Criada em 2006, a Hiperdados é especializada na análise estratégica de informações do mercado imobiliário. A empresa oferece um dos melhores softwares do mercado para incorporadoras e construtoras, que tem como base o banco de dados da Properati, com mais de 1,5 milhão de registros processados diariamente na nuvem. Dessa maneira, a Hiperdade é capaz de ajudar diretores, gerentes e sócios de empresas de incorporação imobiliária a tomarem as melhores decisões sobre seus empreendimentos imobiliários.