• Compartilhar em Google+

Segundo o mais abrangente medidor de preços do mercado imobiliário, o Índice Properati-Hiperdados (IPH), com cobertura nacional de 100 cidades espalhadas pelo Brasil, o preço médio do metro quadrado dos imóveis à venda no país caiu 0,64% entre os meses de maio e junho. Porém, se considerarmos a inflação (IPCA) do mês passado, que fechou em 1,26%, o valor do metro quadrado brasileiro teve uma queda real de 1,88%.

Além disso, no acumulado dos últimos 12 meses, os preços médios registrados pelo IPH caíram 4,13%, mas a queda real foi de 8,16%.

Preços

Em São Paulo (SP), depois de meses de desvalorização, o preço médio do metro quadrado dos imóveis voltou a subir. Após cair 0,17% entre abril e maio, o valor subiu 1,02% entre maio e junho. Com isso, o preço médio do metro quadrado na capital paulista ficou em R$ 7.807.

Já o metro quadrado do Rio de Janeiro (RJ) teve sua segunda queda em 2018. Depois de desvalorizar 1,12% entre abril e maio deste ano, o metro quadrado da capital carioca caiu novamente entre maio e junho, mas em ritmo mais lento: apenas 0,08%. Com isso, o preço segue abaixo da faixa dos R$ 10 mil, com, precisamente, R$ 9.886. Mesmo assim, a cidade mantém sua posição como primeira no ranking, com o metro quadrado mais caro do Brasil.

Outras cidades que merecem destaque são Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Campinas (SP) e Curitiba (PR).

Entre maio e junho deste ano, o preço médio do metro quadrado em Brasília teve alta de 0,93%, atingindo R$ 5.722. Em Belo Horizonte, o valor médio do metro quadrado teve queda de 1,45%, chegando a R$ 4.897. Em Campinas, no mesmo período, a variação foi positiva, com valorização de apenas 0,49% (R$ 5.329). E em Curitiba, o preço do metro quadrado teve variação negativa de 1,34%, chegando a R$ 4.821.

O Índice Properati-Hiperdados (IPH) é avaliação mais ampla do mercado imobiliário brasileiro, pois é calculado com base nos dados de 100 cidades brasileiras, o que representa a maior amostragem em pesquisas do setor. Todos os imóveis utilizados no cálculo estão cadastrados no portal Properati.com.br.

Das 100 cidades avaliadas, 46 apresentaram variação nominal negativa no valor do metro quadrado entre maio e junho de 2018. A cidade que sofreu maior desvalorização nominal foi a capital Belém (PA), com queda de 2,77%. Na outra ponta do país e da lista, a maior valorização nominal foi encontrada em Torres (RS), com mais 2,99%.

Sobre a Properati

O portal de venda e aluguel de imóveis Properati.com.br nasceu na Argentina, em setembro de 2012, com objetivo de trazer mais agilidade e eficiência ao usuário que busca um imóvel na América Latina e mais oportunidades de negócios para quem vende.

A Properati chegou ao Brasil em março de 2014 e tem hoje mais de 1,5 milhão de imóveis cadastrados no país. Desde o início das suas operações, a Properati já recebeu um total de investimentos de US$ 4,7 milhões, dos fundos Eastpoint Ventures, Patagonia Ventures, GroupArgent, Gravlax Ventures, NXTP, Neveq Ventures, e Telor International Limited.

Sobre a Hiperdados

Criada em 2006, a Hiperdados é especializada na análise estratégica de informações do mercado imobiliário. A empresa oferece um dos melhores softwares do mercado para incorporadoras e construtoras, que tem como base o banco de dados da Properati, com mais de 1,5 milhão de registros processados diariamente na nuvem. Dessa maneira, a Hiperdade é capaz de ajudar diretores, gerentes e sócios de empresas de incorporação imobiliária a tomarem as melhores decisões sobre seus empreendimentos imobiliários.