• Compartilhar em Google+

A partir deste mês, a amostragem do Índice Properati-Hiperdados (IPH) será dobrada de 50 para 100 cidades, o que deve tornar ainda mais exata a análise que o estudo faz sobre o mercado imobiliário brasileiro. A expansão foi possível graças ao crescimento no número de anúncios no portal da Properati. Em dezembro de 2016, o número de imóveis brasileiros cadastrados no site era de 1,2 milhão. Este ano, mais de 300 mil novos imóveis foram adicionados, o que permitiu a ampliação do estudo.

Com a amostragem ampliada, uma nova cidade apareceu como destaque nos resultados do IPH de dezembro. Localizada no litoral paulista, a cidade de Bertioga (SP) tem, hoje, o terceiro metro quadrado mais caro do país, com valor de R$ 8.535. A cidade, inclusive, fica na frente de São Paulo, que agora ocupa a quarta posição no ranking nacional.

Segundo estimativas do IBGE, a população de Bertioga é de pouco menos de 60 mil habitantes, o que é muito pouco quando comparado com grandes capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro. No entanto, é em Bertioga que fica a Riviera de São Lourenço, um dos bairros mais valorizados do país e com acesso a excelentes praias do litoral norte do estado. Como esse bairro conta com casas e apartamentos caros e de frente para o mar, o valor médio do metro quadrado do município subiu bastante.

Outros destaques

Segundo o medidor de preços Índice Properati-Hiperdados (IPH), o preço médio do metro quadrado dos imóveis à venda no Brasil teve queda de 1,46%, entre os meses de outubro e novembro de 2017. No acumulado de 2017, o metro quadrado brasileiro já desvalorizou 2,85% e, se considerarmos a variação entre novembro de 2016 e novembro de 2017, a queda é ainda maior: 4,48%. Mesmo assim, a queda  deste mês não diminui as expectativas de recuperação para o mercado imobiliário, que tem grandes chances de retomada no próximo ano.

Em São Paulo (SP), o preço dos imóveis, após apresentar uma breve valorização, voltou a cair para menos de R$ 8 mil. No último levantamento, o metro quadrado da capital paulista estava com preço médio de R$ 8.028. Agora, o valor desvalorizou 1,37% e caiu para R$ 7.918. No acumulado do ano, o metro quadrado da capital paulista já desvalorizou 4,72%.

Já o Rio de Janeiro (RJ) segue valorizando suas propriedades. Entre os meses de outubro e novembro, o metro quadrado da capital carioca subiu 2,21%, atingindo o valor de R$ 9.640. Dessa forma, o Rio de Janeiro continua na primeira posição do ranking brasileiro, com o metro quadrado mais caro do país. Em 2017, apenas entre os meses de junho e agosto a capital carioca teve uma queda ínfima de apenas 0,09% no preço do seu metro quadrado. Com isso, o acumulado do ano segue positivo para a cidade, com valorização de 14.77%.

Ainda na segunda posição no ranking brasileiro, o metro quadrado da cidade catarinense de Balneário Camboriú (SC) continua valorizando. Entre os meses de outubro e novembro deste ano, o valor subiu 1,39%, chegando a R$ 9.029. A valorização fez aumentar ainda mais a distância entre a cidade catarinense e São Paulo, sendo que, no acumulado do ano, o metro quadrado de Balneário Camboriú já valorizou 10,8%.

O Índice Properati-Hiperdados (IPH) é avaliação mais abrangente do mercado imobiliário brasileiro, pois é calculado, a partir deste mês, com base nos dados de 100 cidades brasileiras, o que representa a maior amostragem em pesquisas do setor. Todos os imóveis utilizados no cálculo estão cadastrados no portal Properati.com.br.

Das 100 cidades avaliadas, o valor do metro quadrado de 44 delas apresentou queda nominal nos últimos doze meses. A cidade que sofreu maior desvalorização foi Cabo Frio (RJ), com -14,56%. Na outra ponta, a maior valorização foi registrada no Rio de Janeiro (SP), com 16,51%.

A base de dados da Properati conta, hoje, com mais de 1,5 milhão de imóveis cadastrados e pode ser conferida na íntegra aqui.

Sobre a Properati

O portal de venda e aluguel de imóveis Properati.com.br nasceu na Argentina, em setembro de 2012, com objetivo de trazer mais agilidade e eficiência ao usuário que busca um imóvel na América Latina e mais oportunidades de negócios para quem vende.

A Properati chegou ao Brasil em março de 2014 e tem hoje mais de 1,5 milhão de imóveis cadastrados no país. Desde o início das suas operações, a Properati já recebeu um total de investimentos de US$ 4,7 milhões, dos fundos Eastpoint Ventures, Patagonia Ventures, GroupArgent, Gravlax Ventures, NXTP, Neveq Ventures, e Telor International Limited.

Sobre a Hiperdados

Criada em 2006, a Hiperdados é especializada na análise estratégica de informações do mercado imobiliário. A empresa oferece um dos melhores softwares do mercado para incorporadoras e construtoras, que tem como base o banco de dados da Properati, com mais de 1,5 milhão de registros processados diariamente na nuvem. Dessa maneira, a Hiperdade é capaz de ajudar diretores, gerentes e sócios de empresas de incorporação imobiliária a tomarem as melhores decisões sobre seus empreendimentos imobiliários.