• Compartilhar em Google+

O portal imobiliário Properati desenvolveu estudo com os preços de aluguel e venda de imóveis em toda a extensão das linhas de trem e metrô da Grande São Paulo. O levantamento foi feito com base nas informações dos mais de 20 mil anúncios de imóveis em torno das estações – na cidade de São Paulo, são mais de 500 mil anúncios –  cadastrados no portal, e traz o preço médio em cada estação das linhas.

No caso dos aluguéis, o estudo levantou preços de imóveis com até dois dormitórios, tendo o valor médio mais caro por toda a extensão na linha Esmeralda da CPTM, no valor de R$ 2.032. A linha que vai da Estação Luz até Jundiaí (Rubi) tem seu maior preço médio – R$ 1.956 – na Estação Água Branca; e o menor – R$ 1.058 – em Franco da Rocha. O aluguel médio mais em conta está na linha Safira da CPTM, com valor de R$ R$ 1.108, com o menor preço médio na estação São Miguel Paulista (R$ 943) e o maior no Brás (R$ 1.419).

Em relação ao valor do metro quadrado, para venda, a linha com maior preço médio é a Verde do Metrô, que liga a Vila Madalena, na Zona Oeste, à Vila Prudente, na Zona Leste, com o valor médio de R$ 10.416. A estação com o maior preço para se comprar um imóvel na linha é a Sumaré (R$ 14.877). Já a linha com o menor preço médio para compra é a Diamante da CPTM, que liga Presidente Altino, em Osasco, à estação Amador Bueno, em Itapevi, com o valor médio de R$ 5.753. O menor valor na linha se encontra na estação Sagrado Coração (R$ 2.952), em Jandira.

Ainda em relação ao metro quadrado para venda, os imóveis mais caros em toda a malha ficam próximos às estações Cidade Jardim (R$ 17.033), na linha Esmeralda da CPTM; Sumaré (R$ 14.877) e Clínicas (R$ 14.448), na linha Verde do Metrô. As duas linhas, mais a Amarela do Metrô, concentram praticamente todos os maiores valores para compra de imóveis na região. No caso dos aluguéis, a tendência é a mesma, com essas três linhas tendo os maiores valores.

“O estudo foi idealizado para apontarmos aos usuários quanto custa viver próximo à malha férrea da Grande SP. Hoje, as pessoas se preocupam muito com esse tipo de informação e buscam ter melhor qualidade de vida, morando próximo aos melhores acessos de mobilidade, como trens e metrô”, explica Renato Orfaly, Country Manager do Properati no Brasil.

A empresa desenhou mapas com os valores e as linhas de trens e metrô. Confira a seguir:

mapa-venda

Clique na imagem para ampliá-la.

mapa-aluguel

Clique na imagem para ampliá-la.

Sobre o Properati

O portal de venda e aluguel de imóveis Properati nasceu na Argentina, em setembro de 2012, com objetivo de trazer mais agilidade e eficiência ao usuário que busca um imóvel na América Latina e mais oportunidades de negócios para quem vende.

O Properati chegou ao Brasil em março de 2014, com investimentos dos fundos Eastpoint Ventures, Patagonia Ventures, GroupArgent, Gravlax Ventures e NXTPLabs. Em outubro daquele ano, a empresa recebeu um aporte financeiro de US$ 2 milhões dos fundos de investimentos NEVEQ II e NXTP, que se somaram ao investimento inicial de US$ 200 mil, e, em janeiro de 2015, lançou seu aplicativo mobile.

Em maio de 2016, o portal imobiliário recebeu sua segunda rodada de investimento, no valor de US$ 2 milhões, pelos grupos Neveq Ventures, NXTP Labs e Telor International Limited. O Properati tem hoje mais de um milhão de imóveis cadastrados no país.

Foto: Diego Torres Silvestre