Relatório mensal do mercado imobiliário – Abril 2018

Segundo o mais abrangente medidor de preços do mercado imobiliário, o Índice Properati-Hiperdados (IPH), com cobertura nacional de 100 cidades espalhadas pelo Brasil, o preço médio do metro quadrado dos imóveis à venda no país subiu 0,07% entre os meses de fevereiro e março. Porém, se considerarmos a inflação (IPCA) do mês passado, que fechou em 0,32%, o valor do metro quadrado brasileiro teve uma queda real de 0,25%.

Além disso, no acumulado de 12 meses, os preços médios registrados pelo IPH caíram 4,02%, mas a queda real foi de 6,67%.

Preços

Em São Paulo (SP), o preço médio do metro quadrado dos imóveis parou de cair e voltou a subir. Depois de desvalorizar 0,52% entre janeiro e fevereiro, o preço subiu 0,83% entre fevereiro e março. Mesmo assim, o valor médio do metro quadrado na capital paulista continua abaixo dos R$ 8 mil, com, exatamente R$ 7.893.

Já o Rio de Janeiro (RJ) continua em valorização em 2018 e mantém sua posição como primeira cidade no ranking, com o metro quadrado mais caro do Brasil. Depois de subir 0,12% entre janeiro e fevereiro deste ano, o metro quadrado da capital carioca subiu mais 0,47% fevereiro e março, chegando a R$ 9.930.

Outras cidades que merecem destaque são Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Campinas (SP) e Curitiba (PR).

Entre fevereiro e março deste ano, o preço médio do metro quadrado em Brasília teve alta de 0,32%, atingindo R$ 5.434. Em Belo Horizonte, o valor médio do metro quadrado teve queda de 2,19%, chegando a R$ 5.179. Em Campinas, no mesmo período, a variação foi positiva, com valorização de 0,51% (R$ 5.302). E em Curitiba o valor não teve variação e permaneceu em R$ 4.905.

O Índice Properati-Hiperdados (IPH) é avaliação mais ampla do mercado imobiliário brasileiro, pois é calculado com base nos dados de 100 cidades brasileiras, o que representa a maior amostragem em pesquisas do setor. Todos os imóveis utilizados no cálculo estão cadastrados no portal Properati.com.br.

Das 100 cidades avaliadas, o valor do metro quadrado de 59 delas apresentaram queda nominal em fevereiro de 2018. A cidade que sofreu maior desvalorização real foi Guarapari (ES), com -3,2%. Na outra ponta, a maior valorização real foi encontrada em Itu (SP), com 2,62%.

A base de dados do Properati conta, hoje, com mais de 1,5 milhão de imóveis cadastrados e pode ser conferida na íntegra aqui.

Sobre a Properati

O portal de venda e aluguel de imóveis Properati.com.br nasceu na Argentina, em setembro de 2012, com objetivo de trazer mais agilidade e eficiência ao usuário que busca um imóvel na América Latina e mais oportunidades de negócios para quem vende.

A Properati chegou ao Brasil em março de 2014 e tem hoje mais de 1,5 milhão de imóveis cadastrados no país. Desde o início das suas operações, a Properati já recebeu um total de investimentos de US$ 4,7 milhões, dos fundos Eastpoint Ventures, Patagonia Ventures, GroupArgent, Gravlax Ventures, NXTP, Neveq Ventures, e Telor International Limited.

Sobre a Hiperdados

Criada em 2006, a Hiperdados é especializada na análise estratégica de informações do mercado imobiliário. A empresa oferece um dos melhores softwares do mercado para incorporadoras e construtoras, que tem como base o banco de dados da Properati, com mais de 1,5 milhão de registros processados diariamente na nuvem. Dessa maneira, a Hiperdade é capaz de ajudar diretores, gerentes e sócios de empresas de incorporação imobiliária a tomarem as melhores decisões sobre seus empreendimentos imobiliários.

Relatório mensal do mercado imobiliário – Março 2018

Segundo o mais abrangente medidor de preços do mercado imobiliário, o Índice Properati-Hiperdados (IPH), com cobertura nacional de 100 cidades espalhadas pelo Brasil, o preço médio do metro quadrado dos imóveis à venda no país caiu 0,53% entre os meses de janeiro e dezembro. Se considerado o IPCA, a queda real de 0,82%. No acumulado de 12 meses, os preços médios registrados pelo IPH caíram 5,23%, mas a queda real foi de 7,87%.

Em São Paulo (SP), o preço médio do metro quadrado dos imóveis caiu mais uma vez. Depois de desvalorizar 1,09% entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018, o valor teve queda de 0,52% entre janeiro e fevereiro. Assim, o valor médio do metro quadrado na capital paulista continua abaixo dos R$ 8 mil, com, exatamente R$ 7.828. Já o Rio de Janeiro (RJ) continua em valorização em 2018 e mantém sua posição como primeira no ranking, com o metro quadrado mais caro do Brasil. Depois de subir 1,57 entre o fim do ano passado e começo de 2018, o metro quadrado da capital carioca subiu 0,12% entre janeiro e fevereiro, chegando a R$ 9.883. Outras cidades que merecem destaque são Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Campinas (SP) e Curitiba (PR). Entre janeiro e fevereiro deste ano, o preço médio do metro quadrado em Brasília teve alta de 2,57%, atingindo R$ 5.417. Em Belo Horizonte, o valor médio do metro quadrado teve queda de 1,53%, chegando a R$ 5.295. Em Campinas, no mesmo período, a variação foi positiva, com valorização de 0,69% (R$ 5.275). E em Curitiba houve queda de 0,87% nos preços (R$ 4.905).

O Índice Properati-Hiperdados (IPH) é avaliação mais ampla do mercado imobiliário brasileiro, pois é calculado com base nos dados de 100 cidades brasileiras, o que representa a maior amostragem em pesquisas do setor. Todos os imóveis utilizados no cálculo estão cadastrados no portal Properati.com.br. Das 100 cidades avaliadas, o valor do metro quadrado de 47 delas apresentaram queda nominal em fevereiro de 2018. A cidade que sofreu maior desvalorização foi Bertioga (SP), com -2,96%. Na outra ponta, a maior valorização foi encontrada em São José (SP), com 2,9%. A base de dados da Properati conta, hoje, com mais de 1,5 milhão de imóveis cadastrados e pode ser conferida na íntegra aqui. Confira também os dados das 100 cidades avaliadas pelo Índice Properati-Hiperdados deste mês:

Sobre a Properati

O portal de venda e aluguel de imóveis Properati.com.br nasceu na Argentina, em setembro de 2012, com objetivo de trazer mais agilidade e eficiência ao usuário que busca um imóvel na América Latina e mais oportunidades de negócios para quem vende.

A Properati chegou ao Brasil em março de 2014 e tem hoje mais de 1,5 milhão de imóveis cadastrados no país. Desde o início das suas operações, a Properati já recebeu um total de investimentos de US$ 4,7 milhões, dos fundos Eastpoint Ventures, Patagonia Ventures, GroupArgent, Gravlax Ventures, NXTP, Neveq Ventures, e Telor International Limited.

Sobre a Hiperdados

Criada em 2006, a Hiperdados é especializada na análise estratégica de informações do mercado imobiliário. A empresa oferece um dos melhores softwares do mercado para incorporadoras e construtoras, que tem como base o banco de dados da Properati, com mais de 1,5 milhão de registros processados diariamente na nuvem. Dessa maneira, a Hiperdade é capaz de ajudar diretores, gerentes e sócios de empresas de incorporação imobiliária a tomarem as melhores decisões sobre seus empreendimentos imobiliários.

Taxa média de condomínio em São Paulo custa mais de R$ 1 mil

Existem muitos fatores que influenciam o valor da taxa que um condomínio cobra de seus moradores todo mês. O custo varia se um prédio tem garagem no subsolo, portaria 24 horas e academia, por exemplo, ou opções de lazer, como piscina aquecida e salão de festas. Isso sem contar os impostos municipais e as reformas das áreas comuns do condomínio, que também aumentam a taxa.

Para permitir uma análise dos custos de condomínio, a Properati fez um levantamento do preço médio cobrado pelos prédios em seis das maiores cidades do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Porto Alegre, Belo Horizonte e Curitiba. Os dados utilizados são referentes aos anúncios de imóveis feitos no portal da Properati.

Leia mais

Relatório mensal do mercado imobiliário – Fevereiro 2018

Preço do m² no Brasil permanece estável em janeiro

Segundo o mais abrangente medidor de preços do mercado imobiliário, o Índice Properati-Hiperdados (IPH), com cobertura nacional de 100 cidades espalhadas pelo Brasil, o preço médio do metro quadrado dos imóveis à venda no país permaneceu praticamente estável entre os meses de dezembro de 2017 e janeiro de 2018. A variação nesse período foi de apenas menos 0,03%.

A queda mínima vem logo após uma valorização de 1,45%, entre os meses de novembro e dezembro de 2017, que foi interpretada por especialistas do mercado imobiliário como sinal do começo da recuperação do setor em 2018.

Preços

Leia mais

Balanço Anual IPH 2017

O ano de 2017 foi marcado pela tendência de queda no valor do metro quadrado médio do país. Segundo dados do Índice Properati-Hiperdados, em janeiro de 2017, o valor médio do metro quadrado no Brasil era de R$ 6.891. Em dezembro do mesmo ano, esse preço caiu para R$ 6.607. A queda representa uma desvalorização de 4,12%. Confira o desempenho do índice durante todo o ano de 2017:

Leia mais

Relatório mensal do mercado imobiliário – Janeiro 2018

Segundo o mais abrangente medidor de preços do mercado imobiliário, o Índice Properati-Hiperdados (IPH), com cobertura nacional de 100 cidades espalhadas pelo Brasil, o preço médio do metro quadrado dos imóveis à venda no país aumentou 1,45%, entre os meses de novembro e dezembro de 2017. Mesmo com a valorização no fim de 2017, o ano que passou fica marcado pela queda média de 1,44% no valor do metro quadrado do país.

Leia mais

Ferramenta ajuda a calcular de graça quanto vale um imóvel

office-pen-calculator-computation-163032

Calcular o valor de um imóvel é sempre uma tarefa difícil. É preciso avaliar o valor médio do metro quadrado da região, a estrutura do imóvel que será vendido, o número de dormitórios, além de vários outros itens menores, como a proximidade a opções de transporte público, por exemplo.

Para facilitar esse processo, a Hiperdados, empresa especializada na análise estratégica de informações do mercado imobiliário, em parceria com o portal de busca de imóveis Properati.com.br, acaba de lançar o Avalua, que é uma ferramenta capaz de calcular, automaticamente, uma sugestão de preço para um imóvel.

Leia mais

Relatório mensal do mercado imobiliário – Dezembro 2017

A partir deste mês, a amostragem do Índice Properati-Hiperdados (IPH) será dobrada de 50 para 100 cidades, o que deve tornar ainda mais exata a análise que o estudo faz sobre o mercado imobiliário brasileiro. A expansão foi possível graças ao crescimento no número de anúncios no portal da Properati. Em dezembro de 2016, o número de imóveis brasileiros cadastrados no site era de 1,2 milhão. Este ano, mais de 300 mil novos imóveis foram adicionados, o que permitiu a ampliação do estudo.

Com a amostragem ampliada, uma nova cidade apareceu como destaque nos resultados do IPH de dezembro. Localizada no litoral paulista, a cidade de Bertioga (SP) tem, hoje, o terceiro metro quadrado mais caro do país, com valor de R$ 8.535. A cidade, inclusive, fica na frente de São Paulo, que agora ocupa a quarta posição no ranking nacional.

Leia mais

Metro quadrado de São Paulo é 34% mais caro que o do bairro Vila Prudente

Segundo o último levantamento de preços feito pelo portal de busca de imóveis Properati.com.br, o preço médio atual do metro quadrado de São Paulo (R$ 8.028) é 34% mais caro que o valor médio do metro quadrado dos imóveis localizados no bairro de Vila Prudente (R$5.988). Localizado na zona leste de São Paulo, o bairro é considerado um dos que tiveram maior ascensão em São Paulo no últimos anos, sendo hoje conhecido por ser uma região residencial tranquila.

Leia mais

Metro quadrado de São Paulo é 104% mais caro que o do bairro São Miguel Paulista

Segundo o último levantamento de preços feito pelo portal de busca de imóveis Properati.com.br, o preço médio atual do metro quadrado de São Paulo (R$ 8.028) é 104% mais caro que o valor médio do metro quadrado dos imóveis localizados no bairro de São Miguel Paulista (R$3.930). Localizado na zona leste de São Paulo, o bairro é um dos mais populosos da cidade.

Leia mais